quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Declaração dos Direitos das Crianças


A DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA foi proclamada pela Resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas n.º 1386 (XIV), de 20 de novembro de 1959 e é constituída por dez princípios.



quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Concurso Nacional de Leitura 2019/2020

Obras selecionadas para as provas da fase escolar:

1º ciclo - A Árvore de Sophia de Mello Breyner Andresen


2º ciclo - O rebanho perdeu as asas de António Mota


3º ciclo - História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar de Luis Sepúlveda


Ensino Secundário - Contos exemplares de Sophia de Mello Breyner Andresen




sábado, 9 de novembro de 2019

Ler BD...


Já está na Biblioteca Escolar à tua espera! Ler BD é super!

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

100 anos de Sophia de Mello Breyner Andresen


A minha vida é o mar o abril a rua
O meu interior é uma atenção voltada para fora
O meu viver escuta
A frase que de coisa em coisa silabada
Grava no espaço e no tempo a sua escrita

Não trago Deus em mim mas no mundo o procuro
Sabendo que o real o mostrará

Não tenho explicações
Olho e confronto
E por método é nu meu pensamento

A terra o sol o vento o mar
São a minha biografia e são meu rosto

Por isso não me peçam cartão de identidade
Pois nenhum outro senão o mundo tenho
Não me peçam opiniões nem entrevistas
Não me perguntem datas nem moradas
De tudo quanto vejo me acrescento

E a hora da minha morte aflora lentamente
Cada dia preparada


                     Sophia de Mello Breyner Andresen

              

Momentos e documentos

Comecei a escrever numa noite de Primavera, uma incrível noite de vento leste e junho. Nela o fervor do universo transbordava e eu não podia reter, cercar, conter – nem podia desfazer-me em noite, fundir-me na noite.
No gume da perfeição, no imenso halo de luz azul e transparente, no rouco da treva, na quási palavra de murmúrio da brisa entre as folhas, no íman da lua, no insondável perfume das rosas, havia algo de pungente, algo de alarme.

Como sempre a noite de vento leste misturava êxtase e pânico.


             
                                     


sábado, 2 de novembro de 2019

Centenário do nascimento de Jorge de sena



Jorge de Sena nasceu em Lisboa a 2 de novembro de 1919 e morreu em Santa Bárbara, na Califórnia, a 4 de junho de 1978. Licenciado em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia do Porto, parte para o exílio no Brasil em 1959 e aí doutora-se em Letras e torna-se regente das cadeiras de Teoria da Literatura e de Literatura Portuguesa. Muda-se para os Estados Unidos da América em 1965, lecionando na Universidade de Wisconsin e, anos depois, na Universidade da Califórnia.
Poeta, ficcionista, dramaturgo, ensaísta e tradutor, é considerado um dos mais relevantes escritores de língua portuguesa do século XX, autor de títulos como Metamorfoses (1963), Os Grão-Capitães (1976), O Físico Prodigioso (1977) e Sinais de Fogo (1979), este último considerado a sua obra-prima.
Jorge de Sena foi autor de uma obra marcada sobretudo pela reflexão humanista acerca da liberdade do Homem. “Pensador que sente e sentidos que pensa”, os seus poemas partem geralmente de um objeto para fixar uma meditação sobre o “eu” e o seu lugar no mundo.

Fontes:


Ode para o Futuro


Falareis de nós como de um sonho.
Crepúsculo dourado. Frases calmas.
Gestos vagarosos. Música suave.
Pensamento arguto. Subtis sorrisos.
Paisagens deslizando na distância.
Éramos livres. Falávamos, sabíamos,
e amávamos serena e docemente.

Uma angústia delida, melancólica,
sobre ela sonhareis.

E as tempestades, as desordens, gritos,
violência, escárnio, confusão odienta,
primaveras morrendo ignoradas
nas encostas vizinhas, as prisões,
as mortes, o amor vendido,
as lágrimas e as lutas,
o desespero da vida que nos roubam
- apenas uma angústia melancólica,
sobre a qual sonhareis a idade de oiro.

E, em segredo, saudosos, enlevados,
falareis de nós - de nós! - como de um sonho.


Jorge de Sena, in 'Pedra Filosofal'

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

+ fruta + legumes = - obesidade


Este ano, a Biblioteca Escolar e o PES sensibilizaram a comunidade escolar para a importância da alimentação saudável e segura e de um regime alimentar que previna a obesidade.
Aqui ficam algumas das orientações apresentadas no painel:

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

50 ideias para te livrares do plástico...

... descobre COMO ELIMINAR O PLÁSTICO, reduzir o lixo e SALVAR O MUNDO!

  •  Se ainda não ouviste dizer que as garrafas de água em plástico são muito prejudiciais, vives num planeta diferente... um planeta que não é asfixiado por uma gigantesca ilha de lixo à deriva.
  • Qual é a diferença entre um saco plástico e uma alforreca? Não é uma piada. As tartarugas não conseguem realmente perceber a diferença, e esse erro está a custar-lhes a vida.
  • Lê estas e outras ideias e informações no livro que acaba de chegar à BE.


terça-feira, 15 de outubro de 2019

Sugestão de leitura


Procura na Biblioteca Escolar!
Requisita e lê!

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Prémio Nobel da Literatura



A escritora polaca Olga Tokarczuk e o escritor, dramaturgo e argumentista austríaco Peter Handke são os dois novos Nobel da Literatura, respetivamente de 2018 e 2019.
Nascida em 1962 em Sulechow, formou-se como psicóloga na Universidade de Varsóvia. Com trabalho nesta área, nomeadamente numa instituição para adolescentes com problemas comportamentais e, mais tarde, como terapeuta, publicou o primeiro livro de poemas em 1989. Quatro anos depois, sairia o primeiro romance, "The Journey of the Book-People".
Até ao presente, a polaca escreveu mais de 15 livros. Recebeu também o German-Polish International Bridge Prize, que distingue personalidades comprometidas com a promoção da paz e o entendimento entre os povos da Europa. A Academia Sueca atribuiu-lhe o Nobel “por uma imaginação narrativa que, com paixão enciclopédica, representa o atravessar de fronteiras enquanto forma de vida”.

Já Peter Handke, Nobel da Literatura, recebeu-o “por uma obra influente que, com engenho linguístico, explorou a periferia e a especificidade da experiência humana”. Austríaco da região da Caríntia, nascido em 1942, é autor de uma extensa obra que passa pelo romance, teatro, tradução e cinema. Entre 1944 e 1948 viveu no distrito de Pankow, em Berlim, ocupado pelos soviéticos. Estudou na Universidade de Graz, mantendo sempre um vínculo estreito com as origens maternas, eslovenas, aprendendo a língua e posicionando-se politicamente a favor da Sérvia e contra a Nato.